Novo disco do Strobo tem participação de Marina Lima

January 28, 2016

Os três se encontraram no Red Bull Studios para gravar o quarto disco da dupla, previsto para este semestre

Algumas parcerias rendem mais que uma única troca. No caso do duo paraense Strobo e da cantora Marina Lima, a coisa engatou. Já no primeiro encontro, a afinidade musical entre os três foi instantânea e acabou surgindo novas colaborações.

No final de 2015, Marina lançou "No Osso", um disco só de voz e violão, o 20º de sua carreira. Foi neste período que ela conheceu o trabalho da banda e resolveu chamá-los para fazer um remix de "Partir", que entrou como faixa bônus em seu álbum. Logo em seguida, o duo - formado por Léo Chermont e Arthur Kunz, fãs declarados da artista carioca - a convidou para dar voz a uma música no quarto disco deles, gravado semana passada no Red Bull Studio São Paulo.

"A gente se conheceu e se ligou, me identifiquei muito com o som deles", comenta Marina, que chegou ao estúdio com a letra pronta. Intitulada "Vingativa", a música é uma história sexual "meio passiva" e traz a pegada eletrônica forte e dançante característica da banda. "Essa música é forte, ela mexe tanto com um brasileiro quanto com um alemão, é um estado de espírito mundial. Eu trabalho muito com computador e eles são muito bons. Se soubesse o que eles sabem, faria um som assim", confessa. 

Juntos no projeto há cinco anos e com três álbuns lançados, sendo o último "Mamãe Quero Ser Pop", de 2014, Léo (Guitarra e Efeitos) e Arthur (Bateria e programações) são figuras ativas na cena da música independente paraense. Já produziram e gravaram com artistas como Felipe Cordeiro, Luê, Aíla, Juca Culatra, dentre outros. 

​​

A parceria com Marina veio como uma boa surpresa. "A gente sente, de certa forma, que estamos dando uma continuidade ao trabalho dela da década de 90. Ela abraçou nosso som e está sendo incrível. Percebo que vem acontecendo muito esta troca de informação entre gerações que fazem um som parecido, mas em épocas diferentes. Uma troca sonora entre gerações e não apenas em um contexto regional como já rolava, mas em âmbito nacional", afirma Leo. O disco, ainda sem nome, trará também a participação do cantor Lucas Santana está previsto para sair este semestre.